Parem de nos matar

Este cartaz foi produzido pela artista e ativista Marcela Fauth para a marcha no Dia Internacional da Mulher de 2018, no Rio de Janeiro. Em sangue menstrual, o grito urgente denunciava o alarmante crescimento nas taxas de feminicídio naquele ano. A artista utiliza fluídos corporais em diversas obras, e sua prática artística toma forma no dia-a-dia, nas investigações das tarefas e dos processos de trabalho, nas simbologias presentes no desenvolvimento das ações e no seu próprio posicionamento perante o mundo, como mulher, trabalhadora e artista. Além de abordar questões relativas ao universo feminino e à expressão das angústias de gênero, a artista também busca problematizar temas como auto-imagem/auto-representação, alteridade, o corpo e seus desdobramentos no contexto sociocultural e político do mundo contemporâneo, tendo a performance como um dos principais suportes.

Este conteúdo foi produzido e inserido como contrapartida do Inciso II da Lei Aldir Blanc, Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro/Secretaria Municipal de Cultura, Secretaria Especial de Cultura/ Ministério do Turismo e Governo Federal.

autoria

Marcela Fauth

Data

Março de 2018

Data de luta

8 de Março - Dia Internacional da Mulher

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

feminismo, lesbo/trans/feminicídio

Tipo

cartaz

Descritivo

Sangue menstrual sobre cartolina aplicada em papel pluma / 42cm x 59cm

Direito autoral

Todos os direitos reservados