Ímã “Minha xota tem palmeiras”

Um dos ímãs produzidos pelo Slam das Minas-RJ em 2018 para a venda. “Minha xota tem palmeiras pois parei de depilar. As moças que em mim gorjeiam não costumam reclamar”.

autoria

Tom Grito

Data

2018

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

diversidade, LGBTQIA+, sexualidade

Tipo

ímã

Descritivo

Impressão sobre papel magnético brilhante / 4 x 5 cm

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Registro artístico da final do Slam das Minas-RJ de 2017

Reprodução artística da foto da final do Slam das Minas-RJ de 2017, evento que foi realizado no Largo do Machado.

autoria

Ana Lira

Data

2017

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

democracia, feminismo, sororidade

Tipo

foto/registro

Descritivo

Impressão sobre papel fosco texturizado vermelho / 33 x 48 cm

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Maracujá Roxa #2

“Toda ordem contém as sementes de sua própria destruição” é o segundo zine da coletiva de zines e papéis Maracujá Roxa. A coletiva esteve ativa por 3 anos e realizou zine tour no interior dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, expondo suas peças artísticas em eventos de artes & design e shows punk feminista.

autoria

Coletiva Maracujá Roxa

Data

2016

Local

Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Tema

feminismo

Tipo

zine

Descritivo

Xerografia, colagem manual e giz pastel / A5

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Item especial

Zine recebido de presente pela pesquisadora Camila Puni na cidade do Rio de Janeiro. A obra estava dentro de um envelope com folhas secas e adesivos da mesma editora.

autoria

Pula Pirata edições

Data

2015

Local

Brasil

Tema

feminismo

Tipo

zine

Descritivo

Xerografia e desenho autoral / A6

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Estações zine

Este zine foi adquirido de Aline Miranda (Lilix @outrasbagatelas), uma das mais importantes ativistas lésbicas sapatão do Brasil, durante a feira TESOURA #1 na Casa NEM, Lapa, Rio de Janeiro. Sobre a mesa havia uma máquina de escrever, flores e os zines oferecidos à venda. Lilix possui intensa produção literária em zines datilografados desde 2015 e também o livro de poesias “Néctar 44”.

autoria

Aline Miranda

Data

2014

Local

Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Tema

feminismo

Tipo

zine

Descritivo

Datilografia e poesia autoral / A4

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Ciborgue de Pele | Body Storm #2

Zine adquirido diretamente com autore na banquinha do coletivo LOBAXS durante feira de zines na Casa Selvática, em Curitiba-PR. Juno trabalha com zines e colagens manuais desde 2012 expressando temáticas subjetivas e queer-feminista.

autoria

Juno Cicatriz Azul

Data

2014

Local

Curitiba, Paraná, Brasil

Tema

feminismo

Tipo

zine

Descritivo

Xerografia colorida e colagem manual / A5

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Grrrito Mouco poezine #15

“A Era das Orquídeas” zine foi produzido pela artista pesquisadora Camila Puni. Este é o décimo quinto de uma série de 17 zines auto publicados, seja de maneira autônoma ou pela coletiva Maracujá Roxa.

autoria

Camila Puni

Data

2017

Local

Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Tema

feminismo, violência

Tipo

zine

Descritivo

Xerografia, colagem manual, datilografia, aquarela, giz pastel / A5

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Bandeirão LGBTQIA+ da placa Rua Marielle Franco

Para a parada LGBTQIA+ de 2019, no Rio de Janeiro, Ana Archis idealizou e produziu, com a colaboração financeira de amigos e artistas como Camila Pitanga, Guta Stresser, Letrux e Rodrigo Penna, um bandeirão da placa Rua Marielle Franco. A bandeira foi esticada em frente ao carro Lésbico, que estava homenageando Marielle Franco e contava com a presença da Mônica Benício.

autoria

Ana Archis

Data

22 de Setembro de 2019

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

lesbo/trans/feminicídio, racismo, violência

Tipo

bandeira

Descritivo

Impressão sobre tecido / 5 x 10m

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Placa Rua Marielle Franco, versão LGBTQIA+

A versão arco-íris da placa já havia sido criada, reafirmando Marielle Franco como uma defensora das bandeiras e direitos LGBTQIA+, mas só repercutiu durante a Parada de Copacabana de 2019.

autoria

Ana Archis

Data

22 de Setembro de 2019

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

racismo, violência, lesbo/trans/feminicídio

Tipo

placa

Descritivo

Placa feita em adesivo vinílico colado sobre acrílico / 24 x 48 cm

Direito autoral

Zine-feminista

54 itens

A coleção Zine-feminista foi coletada e organizada pela artista pesquisadora Camila Puni e reúne originalmente 101 zines produzidos principalmente no Sul e Sudeste do Brasil e auto-publicados entre 2015 e 2019, período de intensas movimentações sócio-políticas e lutos coletivos. Parte significativa destes zines foram selecionados para compor o acervo Compa. Aqui você pode acessar:

Vozes lesbianas, preta riot, bissexuais, sapatão peluda, translesbichas, poliamorosas; são vozes de bruxas, xerecas satânicas, gorda terrorista, riot grrrl; textos em máquinas de escrever, a punho e nanquim; experimentações visuais com colagens digitais e feitas a mão; desenhos autorais, mapa astral, receitas veganas; desabafos, expurgos da violência urbana, homofobias cotidianas e violências em espaços libertários; sabedorias de cura e afeto.

Digitalizar os zines da coleção zine-feminista é um esforço em preservar e manter viva a cultura de zines queer-feminista do Brasil. É torná-los acessíveis à pesquisa, à docência, a coletivos, a amantes de zine e a quem mais se interessar por punk & design, por colagens ou auto-publicações. 

Cada zine aqui é nó a conectar dissidências numa grande rede: a rede da amizade zine-feminista. É escrevendo sobre si e seu mundo ao redor que as zineiras criam sua (re)existência, expurgam suas dores e colam nas folhas de papel suas micropolíticas.