Instalação “Estados”

Esta instalação faz parte do projeto “…sobre um sentir insurgente”, da artista e ativista pernambucana Ana Lira, e consiste numa ação-dipositivo que foi iniciada a partir de um convite para a exposição As Bandeiras da Revolução: Pernambuco 1817-2017 (Política da Arte 2017). A ação consistia na criação de dispositivos e ações públicas que pudessem discutir as conexões existentes entre as motivações da revolução e as motivações revolucionárias que estamos vivenciando no Brasil atualmente. Existem conexões para além um sentir insurgente? O segundo momento, documentado aqui, abandona a relação com a Revolução Pernambucana de 1817 e passa a discutir as motivações insurgentes no Brasil contemporâneo por meio de uma residência desenvolvida em 2018 na Despina (Rio de Janeiro), no projeto Arte e Ativismo na América Latina. A pesquisa resultou em um conjunto de bandeiras, que foram ativadas no espaço público no dia da abertura da Copa do Mundo. As bandeiras perguntam: “A quem interessa naturalizar o estado-exceção?” e “A quem interessa naturalizar o estado-exaustão?”.

autoria

Ana Lira

Data

2018

Local

Brasil

Tema

revolução, violência

Tipo

instalação

Descritivo

Instalação, dimensões variáveis

Direito autoral

Todos os direitos reservados

O Rio de Janeiro continua lindo e opressor

Este lambe foi colado na Rua do Senado, Centro do Rio de Janeiro, em agosto de 2019. A pichação “bixas no poder” foi feita no mesmo dia e acompanha o lambe. A ação foi realizada por Sabine Passareli na noite de encerramento da Residência Corpos Estranhos, na Despina, projeto concebido em reação ao assassinato da artista Matheusa Passareli, aos 21 anos, em 2018. A foto, de Igor Furtado, mostra Sabine Passareli no Museu Militar, em São Cristóvão, vestindo uma camiseta bordada por Igor em referência à zine de Matheusa Passareli “O Rio de Janeiro continua lindo e opressor”. O bordado foi feito sobre uma camiseta de criança com a frase turística “O Rio de Janeiro continua lindo”. Esta ação é o encontro da poética de Matheusa, do registro de Igor e da performance de Sabine. A fotografia foi publicada pelo British Journal of Photography em Abril de 2021. 

autoria

Sabine Passareli

Data

Agosto de 2019

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

violência, racismo, lesbo/trans/feminicídio

Tipo

ação

Descritivo

Impressão sobre papel / 100 cm x 145 cm

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Bandeira “Ele não”

autoria

Vem pra Luta Amada

Data

2018

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

democracia, direitos reprodutivos

Tipo

bandeira

Descritivo

Impressão serigráfica sobre tecido / 40 x 30 cm

Direito autoral

Bandeira “Mais livros menos armas”

autoria

Vem pra Luta Amada

Data

2020

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

educação, feminismo, violência

Tipo

bandeira

Descritivo

Impressão serigráfica sobre tecido / 30 x 40 cm

Direito autoral

Zine Slam das Minas-RJ, caderno 1

autoria

Slam das Minas-RJ

Data

2018

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

educação, feminismo, racismo

Tipo

zine

Descritivo

Impressão sobre papel / 22x16cm

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Zine Slam das Minas-RJ, caderno 3

Zine conta com composições de Andréa Bak, Carol Dall Farra, Tom Grito, Rejane Barcelos e Gênesis.

autoria

Slam das Minas-RJ, Andrea Bak, Carol Dall Farra, Tom Grito, Rejane Barcelos, Gênesis

Data

2018

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

racismo, educação, feminismo

Tipo

zine

Descritivo

Impressão sobre papel / 14 páginas / 22 x 16 cm

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Mais cuidado, menos soldado

Nos dias seguintes ao assassinato da vereadora Marielle Franco, as ruas do Rio de Janeiro foram tomadas por cartazes, grafites e pichações. Este estêncil foi produzido neste contexto e utilizado em inúmeras ocasiões de violência política, estatal e militar desde então.

autoria

Vem pra Luta Amada

Data

Março de 2018

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

violência, direitos

Tipo

estêncil

Descritivo

estêncil recortado em papel rígido / 60 x 40 cm

Direito autoral