Placa “Cuidado”

Placas de atenção são espalhadas pela cidade indicando o trabalho na via. Por mais que as mulheres tenham sido integradas à força de trabalho no último século, essas placas sempre indicam a presença de “Homens trabalhando”. Esta placa da artista e ativista Lara Lima busca refletir sobre a invisibilização dos corpos femininos e as diversas violências resultantes da desigualdade de gênero, inclusive no mundo da arte. Nos acervos dos museus, nas grandes coleções e nas representações de galerias de arte, as mulheres artistas são minoria. Também por isso a maioria das artistas trabalham em outros campos para bancar suas vidas e produções, realizando dupla ou tripla jornada. A placa “Cuidado” é uma tentativa de chamar atenção para todo trabalho invisível e foi criada durante a pesquisa para a exposição Ingajá, no Museu do Ingá, em Niterói, em 2019. Para a mostra, foram produzidas diversas réplicas desta placa que, ao serem deslocadas para diferentes ambientes, servem como um dispositivo de invenção de espaços de produção e criação, tecendo uma rede de mulheres artistas à procura de visibilidade para seus trabalhos. As placas podem ser adquiridas com a artista ou impressas a partir do arquivo disponibilizado aqui.

autoria

Lara Lima

Data

Outubro de 2019

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brazil

Tema

desigualdade, trabalho

Tipo

placa

Descritivo

Adesivo sobre placa de PVC / 38,5 x 60 cm

Direito autoral

Mulheres contra a fome

Devido ao aumento de casos de Covid-19, o movimento feminista do Rio de Janeiro decidiu não realizar um ato centralizado no dia 8 de março de 2021. Pequenas “brigadas feministas” foram criadas para realizar ações espalhadas pelo território, evitando aglomerações. Este lambe faz parte de uma série criada por Lara Lima, do GT de comunicação do 8M RJ. Centenas de cópias foram impressas em diversos gabinetes aliados e disponibilizadas no Armazém do Campo, na Lapa, para coleta pelas brigadas feministas. Nestes materiais estão as principais bandeiras defendidas pelo movimento em 2021. O eixo do 8M RJ foi: “Mulheres na luta pela vida! Fora governo Bolsonaro, em defesa do SUS, vacina para todes e auxílio emergencial já! Água é um direito, não à privatização da CEDAE”. Ao longo de março, uma segunda versão dos lambes foi criada, sem a identificação do 8M RJ, para que pudessem ser espalhados pelo país. Esta é a versão que disponibilizamos para download.

autoria

Lara Lima

Data

Março de 2021

Data de luta

8 de Março - Dia Internacional da Mulher

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

direitos, desigualdade

Tipo

lambe

Descritivo

Arquivo digital

Direito autoral

Lambe “Sufocada”

Lambe com poesia de Carol Dall Farra, do Slam das Minas-RJ.

autoria

Carol Dall Farra, Slam das Minas-RJ

Data

2018

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

desigualdade, justiça, trabalho

Tipo

lambe

Descritivo

Impressão sobre papel / A4

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Amargo zine

Zine adquirido por meio de troca de cartas com a artista Edi @edipatzlaff que é fotógrafa e ilustradora. O envelope veio do Rio Grande do Sul-RS com zines originais coloridos e Amargo zine é um deles.

autoria

Amargo zine, Edi

Data

2015

Local

Rio Grande do Sul, Brasil

Tema

feminismo, desigualdade, sororidade

Tipo

zine

Descritivo

Colagem manual original, costurado com linha, impressão jato de tinta colorida / A5

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Mais espaços seguros para mulheres negras

Este grafite, localizado na Rua Santa Cristina, em Santa Teresa (Rio de Janeiro) é parte do projeto “Memória guerreira não se apaga”, que utiliza as ruas como espaço de mídia alternativa para a preservação da memória das lutas das mulheres, e foi feito em colaboração com o movimento “Enegrecer a política”.

autoria

Memória guerreira não se apaga

Data

2020

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

racismo, feminismo, desigualdade

Tipo

grafite

Descritivo

grafite sobre parede / 145 x 55cm

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Panfleto contra a PEC 29 e a Reforma da Previdência

O ano de 2019 é marcado por um avanço do neoliberalismo no Brasil e a retirada de diversos direitos, como na Reforma da Previdência, aprovada em 12 de novembro. Houve um esforço grande por parte do governo corrente e empresários em torno da disputa ideológica sobre a sustentabilidade econômica de alguns direitos e benefícios. A esquerda organizou diversas atividades que visavam munir a sociedade de informações sobre o tema, defendendo direitos historicamente conquistados.

autoria

Nossa Hora de Legalizar o Aborto

Data

19 de Maio de 2019

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

democracia, desigualdade, direitos

Tipo

panfleto

Descritivo

Impressão sobre papel / 10,5 x 14,85 cm

Direito autoral

Panfleto para evento com o tema “Mulheres e a Reforma da Previdência”

O ano de 2019 é marcado por um avanço do neoliberalismo no Brasil e a retirada de diversos direitos de grande monta, como aconteceu na Reforma da Previdência, aprovada em 12 de novembro. Houve um esforço grande por parte do governo corrente e empresários em torno da disputa ideológica sobre a sustentabilidade econômica de alguns direitos e benefícios. A esquerda organizou diversas atividades que visavam munir a sociedade de informações sobre o tema, defendendo direitos historicamente conquistados.

autoria

Nossa Hora de Legalizar o Aborto

Data

19 de Maio de 2019

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

democracia, desigualdade, direitos

Tipo

panfleto

Descritivo

Impressão sobre papel / 10,5 x 14,8 cm

Direito autoral

Ouçam as mulheres

Lambe do coletivo Tupinambá Lambido, grupo de artistas e pesquisadores que busca trazer reflexões sobre o contexto político social, atuando diretamente nos espaços urbanos. A primeira campanha de cartazes foi feita no período em que se desenhou o golpe parlamentar de 2016. A segunda ocorreu no contexto da greve geral de 2017. Este lambe faz parte da terceira campanha, produzida em meio à pandemia da Covid 19, em 2020.

autoria

Tupinambá Lambido

Data

Setembro de 2020

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

feminismo, desigualdade

Tipo

lambe

Descritivo

impressão serigráfica em papel lambe-lambe / 190 x 300 cm

Direito autoral

Por mais mulheres negras em espaços de decisão

Este grafite, localizado na Rua Santa Cristina, em Santa Teresa (Rio de Janeiro) é parte do projeto “Memória guerreira não se apaga”, que utiliza as ruas como espaço de mídia alternativa para a preservação da memória das lutas das mulheres, e foi feito em colaboração com o movimento “Enegrecer a política”.

autoria

Memória guerreira não se apaga

Data

2020

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

racismo, feminismo, desigualdade

Tipo

grafite

Descritivo

Grafite sobre parede / 150 x 58cm

Direito autoral

Todos os direitos reservados