Diva

Diva é uma escultura na terra que representa, nas palavras da artista Juliana Notari, uma ferida-vulva. A obra foi produzida durante a participação de Juliana numa residência artística no Parque Artístico Botânico Usina da Arte, em parceria com o Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães (Mamam), e ocupa o alto de uma montanha em Água Preta, a cerca de 130 quilômetros do Recife. Com 33 metros de altura, 16 de largura e seis metros de profundidade, a escultura é um desdobramento de uma série de trabalhos da artista, que desde 2003 vem explorando buracos, feridas e aspectos da anatomia feminina em sua pesquisa. Finalizada em dezembro de 2020, Diva gerou uma forte reação conservadora e diversas polêmicas no Brasil e mundo afora. O jornal conservador britânico The Daily Mail, por exemplo, publicou uma foto da obra coberta de pixels. Juliana é artista, doutoranda e mestre em Artes Visuais pela UERJ. Trabalha com as mais diversas linguagens (instalações, performances, vídeos, fotografias, desenhos e objetos) com abordagem multidisciplinar. Seus trabalhos transitam entre a biografia, o confessional, a catarse ou práticas relacionais. Nos últimos anos, tem se destacado pelas suas videoperformances e desde 2001 vem realizando exposições no Brasil e no exterior e recebeu prêmios onde se destacam: Prêmio do 33º Salão Arte Pará, 2014; Prêmio Funarte Mulheres nas Artes Visuais 2013; Artista indicada ao Prêmio PIPA, em 2018 e 2019; Exposição dos finalistas do 7º Prêmio Marcantonio Vilaça MAB-FAAP, SP, 2019.

Este conteúdo foi produzido e inserido como contrapartida do Inciso II da Lei Aldir Blanc, Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro/Secretaria Municipal de Cultura, Secretaria Especial de Cultura/ Ministério do Turismo e Governo Federal.

autoria

Juliana Notari

Data

2020

Local

Água Preta, Pernambuco, Brasil

Tema

feminismo, sexualidade, violência

Tipo

escultura

Descritivo

Concreto, resina e tinta náutica / 33m x 16m x 6m

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Estandarte Xerecanto

Estandarte criado por Gênesis, do Slam das Minas RJ, para o desfile do bloco Xerecanto no Carnaval 2019, no bar do Molejão, no Morro do Pinto (Rio de Janeiro).

autoria

Slam das Minas-RJ, Gênesis

Data

2019

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

sexualidade, sororidade, LGBTQIA+

Tipo

estandarte

Descritivo

Tecidos aplicados em cabo de madeira e bambolê

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Ímã “Minha xota tem palmeiras”

Um dos ímãs produzidos pelo Slam das Minas-RJ em 2018 para a venda. “Minha xota tem palmeiras pois parei de depilar. As moças que em mim gorjeiam não costumam reclamar”.

autoria

Tom Grito

Data

2018

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

diversidade, LGBTQIA+, sexualidade

Tipo

ímã

Descritivo

Impressão sobre papel magnético brilhante / 4 x 5 cm

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Ainda Não #2 zine

Zine adquirido diretamente com a autora, Carla Duarte, na cidade de Volta Redonda-RJ durante feira de zines do coletivo TIAMAT. Carla é uma das mais importantes artistas riot grrrl da baixada e produz zines desde anos 2000.

autoria

Carla Duarte

Data

2015

Local

Barra Mansa, Rio de Janeiro, Brasil

Tema

feminismo, sexualidade, sororidade

Tipo

zine

Descritivo

Xerografia, colagem manual, tecido e carimbo / A5

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Camiseta “meu cu é laico”

Vestimenta integra a coleção “Tijeras”, marca de roupas e acessórios criada em 2016 para ajudar a financiar o “Prepara Nem”. Nicolly Kardashian, moradora da Casa Nem, posa com a camiseta.

autoria

Casa Nem

Data

2016

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

sexualidade, LGBTQIA+, diversidade

Tipo

roupa

Descritivo

Camisa de algodão tingida de cinza, tamanho P

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Ecobag “casa nem casa viva”

Item foi feito a partir de aulas de serigrafia na Casa Nem. Acessório fez parte da coleção “Tijeras”, marca de vestimentas e utensílios produzidos pela entidade para a venda

autoria

Casa Nem

Data

2016

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

sexualidade, LGBTQIA+, gênero

Tipo

ecobag

Descritivo

Tinta preta impressa em ecobag de algodão cru / 36x36 cm

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Super Sapa e Super Sapinha

A ativista sapatona Viviane Grace Costa é figura tarimbada nos atos e manifestações feministas do Rio de Janeiro como sua persona Super Sapa, sempre acompanhada da mascote Super Sapinha.

autoria

Viviane Grace Costa

Data

2020

Local

Brasil

Tema

LGBTQIA+, sexualidade, direitos

Tipo

ação

Descritivo

Fotografia digital

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Lyz Parayzo – A putinha terrorista

Cartaz enviado na ação Artes pelas Democracia, 2016.

autoria

Lyz Parayzo

Data

Março de 2016

Local

Brasil

Tema

democracia, LGBTQIA+, sexualidade

Tipo

cartaz

Descritivo

Arquivo digital

Direito autoral

Sou livre porque penso! #GreloDuro

Cartaz enviado na ação Artes pela Democracia, 2016.

autoria

Gabriela Michelini

Data

Março de 2016

Local

Brasil

Tema

democracia, feminismo, sexualidade

Tipo

cartaz

Descritivo

Arquivo digital

Direito autoral