Instalação “Estados”

Esta instalação faz parte do projeto “…sobre um sentir insurgente”, da artista e ativista pernambucana Ana Lira, e consiste numa ação-dipositivo que foi iniciada a partir de um convite para a exposição As Bandeiras da Revolução: Pernambuco 1817-2017 (Política da Arte 2017). A ação consistia na criação de dispositivos e ações públicas que pudessem discutir as conexões existentes entre as motivações da revolução e as motivações revolucionárias que estamos vivenciando no Brasil atualmente. Existem conexões para além um sentir insurgente? O segundo momento, documentado aqui, abandona a relação com a Revolução Pernambucana de 1817 e passa a discutir as motivações insurgentes no Brasil contemporâneo por meio de uma residência desenvolvida em 2018 na Despina (Rio de Janeiro), no projeto Arte e Ativismo na América Latina. A pesquisa resultou em um conjunto de bandeiras, que foram ativadas no espaço público no dia da abertura da Copa do Mundo. As bandeiras perguntam: “A quem interessa naturalizar o estado-exceção?” e “A quem interessa naturalizar o estado-exaustão?”.

autoria

Ana Lira

Data

2018

Local

Brasil

Tema

revolução, violência

Tipo

instalação

Descritivo

Instalação, dimensões variáveis

Direito autoral

Todos os direitos reservados

O Rio de Janeiro continua lindo e opressor

Este lambe foi colado na Rua do Senado, Centro do Rio de Janeiro, em agosto de 2019. A pichação “bixas no poder” foi feita no mesmo dia e acompanha o lambe. A ação foi realizada por Sabine Passareli na noite de encerramento da Residência Corpos Estranhos, na Despina, projeto concebido em reação ao assassinato da artista Matheusa Passareli, aos 21 anos, em 2018. A foto, de Igor Furtado, mostra Sabine Passareli no Museu Militar, em São Cristóvão, vestindo uma camiseta bordada por Igor em referência à zine de Matheusa Passareli “O Rio de Janeiro continua lindo e opressor”. O bordado foi feito sobre uma camiseta de criança com a frase turística “O Rio de Janeiro continua lindo”. Esta ação é o encontro da poética de Matheusa, do registro de Igor e da performance de Sabine. A fotografia foi publicada pelo British Journal of Photography em Abril de 2021. 

autoria

Sabine Passareli

Data

Agosto de 2019

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

violência, racismo, lesbo/trans/feminicídio

Tipo

ação

Descritivo

Impressão sobre papel / 100 cm x 145 cm

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Três anos sem respostas, sem justiça. Quem mandou matar Marielle?

Devido ao aumento de casos de Covid-19, o movimento feminista do Rio de Janeiro decidiu não realizar um ato centralizado no dia 8 de março de 2021. Pequenas “brigadas feministas” foram criadas para realizar ações espalhadas pelo território, evitando aglomerações. Este lambe faz parte de uma série criada por Lara Lima, do GT de comunicação do 8M RJ. Centenas de cópias foram impressas em diversos gabinetes aliados e disponibilizadas no Armazém do Campo, na Lapa, para coleta pelas brigadas feministas. Nestes materiais estão as principais bandeiras defendidas pelo movimento em 2021. O eixo do 8M RJ foi: “Mulheres na luta pela vida! Fora governo Bolsonaro, em defesa do SUS, vacina para todes e auxílio emergencial já! Água é um direito, não à privatização da CEDAE”. Ao longo de março, uma segunda versão dos lambes foi criada, sem a identificação do 8M RJ, para que pudessem ser espalhados pelo país. Esta é a versão que disponibilizamos para download.

autoria

Lara Lima

Data

Março de 2021

Data de luta

8 de Março - Dia Internacional da Mulher

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

democracia, violência, lesbo/trans/feminicídio

Tipo

lambe

Descritivo

Arquivo digital

Direito autoral

Três anos sem respostas, sem justiça. Quem mandou matar Marielle? (versão flor)

Devido ao aumento de casos de Covid-19, o movimento feminista do Rio de Janeiro decidiu não realizar um ato centralizado no dia 8 de março de 2021. Pequenas “brigadas feministas” foram criadas para realizar ações espalhadas pelo território, evitando aglomerações. Este lambe faz parte de uma série criada por Lara Lima, do GT de comunicação do 8M RJ. Centenas de cópias foram impressas em diversos gabinetes aliados e disponibilizadas no Armazém do Campo, na Lapa, para coleta pelas brigadas feministas. Nestes materiais estão as principais bandeiras defendidas pelo movimento em 2021. O eixo do 8M RJ foi: “Mulheres na luta pela vida! Fora governo Bolsonaro, em defesa do SUS, vacina para todes e auxílio emergencial já! Água é um direito, não à privatização da CEDAE”. Ao longo de março, uma segunda versão dos lambes foi criada, sem a identificação do 8M RJ, para que pudessem ser espalhados pelo país. Esta é a versão que disponibilizamos para download.

autoria

Lara Lima

Data

Março de 2021

Data de luta

8 de Março - Dia Internacional da Mulher

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

democracia, violência

Tipo

lambe

Descritivo

Arquivo digital

Direito autoral

Gestantes vivas e com direitos

Devido ao aumento de casos de Covid-19, o movimento feminista do Rio de Janeiro decidiu não realizar um ato centralizado no dia 8 de março de 2021. Pequenas “brigadas feministas” foram criadas para realizar ações espalhadas pelo território, evitando aglomerações. Este lambe faz parte de uma série criada por Lara Lima, do GT de comunicação do 8M RJ. Centenas de cópias foram impressas em diversos gabinetes aliados e disponibilizadas no Armazém do Campo, na Lapa, para coleta pelas brigadas feministas. Nestes materiais estão as principais bandeiras defendidas pelo movimento em 2021. O eixo do 8M RJ foi: “Mulheres na luta pela vida! Fora governo Bolsonaro, em defesa do SUS, vacina para todes e auxílio emergencial já! Água é um direito, não à privatização da CEDAE”. Ao longo de março, uma segunda versão dos lambes foi criada, sem a identificação do 8M RJ, para que pudessem ser espalhados pelo país. Esta é a versão que disponibilizamos para download.

autoria

Lara Lima

Data

Março de 2021

Data de luta

8 de Março - Dia Internacional da Mulher

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

feminismo, violência, direitos reprodutivos

Tipo

lambe

Descritivo

Arquivo digital

Direito autoral

Bandeira “Nem uma a menos”

autoria

Vem pra Luta Amada

Data

2019

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

violência, direitos, feminismo

Tipo

bandeira

Descritivo

Impressão serigráfica sobre tecido / 30 x 40 cm

Direito autoral

Bandeira “Mais livros menos armas”

autoria

Vem pra Luta Amada

Data

2020

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

educação, feminismo, violência

Tipo

bandeira

Descritivo

Impressão serigráfica sobre tecido / 30 x 40 cm

Direito autoral

Bandeira “Marielle presente”

autoria

Vem pra Luta Amada

Data

2018

Local

Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tema

violência

Tipo

bandeira

Descritivo

Impressão serigráfica sobre tecido / 40 x 30 cm

Direito autoral

Eu paro pelo fim da cultura do estupro

Cartazes criados para fomentar a Greve Internacional de Mulheres no Brasil, em sua primeira edição.

autoria

Julia Dalkmin

Data

08 de Março de 2017

Data de luta

8 de Março - Dia Internacional da Mulher

Local

Porto Alegre, RS, Brasil

Tema

feminismo, gênero, violência

Tipo

cartaz

Descritivo

Impresão sobre papel / A4

Direito autoral

Todos os direitos reservados

Pelo fim da cultura do estupro

Cartaz criado para fomentar a Greve Internacional de Mulheres no Brasil, em sua primeira edição.

autoria

Juliana Lisboa

Data

08 de Março de 2017

Data de luta

8 de Março - Dia Internacional da Mulher

Local

Porto Alegre, RS, Brasil

Tema

feminismo, gênero, violência

Tipo

cartaz

Descritivo

Impressão digital sobre papel / A4

Direito autoral

Todos os direitos reservados